AMANTE DESPERTO | J. R. WARD | THEREVIEWBOOKS.COM.BR
Resenhas

Irmandade da Adaga Negra #3: Amante Desperto » J. R. Ward

Por alguma razão que só o cosmos sabe, eu publiquei a resenha do livro 4 de Irmandade da Adaga Negra antes de Amante Desperto, livro 3 da série. Dando uma de J. R. Ward, acho que o Butch queria se mostrar antes do misterioso Zsadist. E se você tá boiando nesse post e não sabem quem diabos é Butch e Zsadist, faz bem colar nesse post aqui, para descobrir tudo sobre a série e a ordem de leitura de Irmandade da Adaga Negra.

Descubra: Compre os livros da Irmandade com nosso desconto exclusivo de até 20%

No terceiro livro da série, a autora nos mostra melhor o guerreiro Zsadist, irmão gêmeo de Phury que foi roubado quando criança para servir como escravo de sangue para uma ama rica e sádica. Cheio de cicatrizes físicas e emocionais desse passado sombrio, Z como é chamado pelos outros membros da irmandade é o soldado sem alma da elite vampírica.

De todos os membros da irmandade, Zsadist é o único que luta, não pela causa vampírica (proteger seu rei e sua raça), mas para dar cabo da sua selvageria. Para ele não importa se é um humano (criaturas que ele despreza), um redutor ou outro vampiro, seu objetivo é machucar.

Por mais que a imagem desse guerreiro seja a de um psicopata sem cura, eu tenho lá minhas tendencias em gostar de anti-heróis e até vilões. Nunca vi, assim como seu irmão Phury, um final sem recuperação para o soldado sanguinário, no fundo pra mim Z tem muito ódio acumulado, auto-aversão e uma tonelada de traumas com o que aprender a lidar, mas mesmo assim ele tá em alta conta na minha lista de irmãos preferidos.

Com olhos negros como a sua alma, Z se mantem afastado do mundo até que conhece Bella. A vampira, de alta classe membro da Glymera, é apresentada para nós leitores no livro anterior quando em uma visita a casa da sua vizinha humana Mary, ela encontra John Matthew e descobre sua ligação com a irmandade.

Bella é um elo importante de ligação no mundo da irmandade, mas isso é assunto lá para frente, vou frear meus carros assim os bois continuam na frente dele.

Desde que Z e Bella se conheceram, a moça ficou extremamente encantada com o sombrio Z. Uma das coisa, não sei se já cheguei a comentar nas resenhas anteriores, que eu amo na J.R. Ward é como ela consegue passar a imagem de perfeição que a paixão/amor trás para gente quando acontece.

Em todos os livros, a imagem do casal é sempre muito perfeita. Normalmente dada pelo seu par, deixa eu explicar melhor. Desde o primeiro livro vemos que Zsadist tá mergulhado em problemas até o pescoço. O vampiro se alimenta de humanos, pois não se acha digno de consumir seu sustento de uma vampira, ainda mais se for uma das escolhidas que servem a Irmandade.

Por isso, para o padrão da irmandade de guerreiros, ele é magro e mal nutrido.

Cheio de cicatrizes em seu corpo e as tatuagens de seu tempo como escravo de sangue, ele não suporta se olhar no espelho, mas desde o primeiro momento em que Bella põe os olhos nele, o descreve como a epitome da beleza. O seu gêmeo idêntico Phury é descrito sempre como um macho muito lindo, o que aumenta o contraste da escuridão e problemas de Z. Mas Bella não consegue ver diferença e eu amo isso, por que para Bella, Z é exatamente o que ela precisa.

Isso também acontece no livro de Butch, quando a Marissa descreve o policial como um galã de cinema e logo no próximo livro a gente descobre que o cara não é o Deus grego que a mulher apaixonada descreveu.

Isso se repete com todos os casais em todos os livros, mas não de maneira óbvia. Bem agora é, por que eu tô atentando vocês para esse fato, mas foram muitas releituras até eu perceber esse pequeno east egg.

Mas voltando a Amante Desperto, que de fato tem inicio no anterior, já que depois de se conhecerem e Zsadist tentar incessantemente se afastar por não achar digno e não saber reagir ao que esta sentindo pela vampira, Bella é sequestrada pelos Redutores.

Sofrendo um sequestro que além de castrativo é psicologicamente insano, já que o redutor Sr. O sequestrou a jovem vampira por motivos pessoais e não para usá-la em algum plano maligno dos redutores. Para ele, Bella é uma reencarnação ou algum tipo de representação de sua esposa morta.

Para sua sorte isso é o que a mantem viva durante todos esse tempo, enquanto isso Z está numa corrida dantesca para achar a fêmea e quem sabe dar paz de espírito para sua família e para ele mesmo, já que se sente pessoalmente responsável pelo seu sumiço.

Bella é muito inteligente e resiliente e é essa característica que a faz ficar com o guerreiro quebrado. Depois de liberta do cativeiro, ela dobra Zsadist a suas vontades e isso é bom. Ela pode até ser egoísta e chatinha de vez em quando, mas são esses atos que trazem cada vez mais Z para uma vida normal.

Amante Desperto também trás um que de triângulo amoroso, pois vemos Phury dividir a paixão por Bella com seu gêmeo e em mais um ato de abnegação ele abre mão desse “amor”. Que traduzindo quer dizer que Bella nunca deu nenhum demonstração de interesse por ele, mas a síndrome de herói que ele tem, como diria os Los Hermanos em Cara Estranho: “[…]Mas leva a cruz um pouco além, talhando feito um artesão a imagem de um rapaz de bem”. Não o deixa ver isso.

Mas não vamos adiantar o nosso (leia-se meu) ranço pelo celibatário da Irmandade.

Meu parecer sobre o livro é que ele é uma boa leitura, na altura do trabalho da autora, que consegue com maestria misturar realidade e “paranormalidade” de um jeito criativo e cru, sem firulas, sem aquele ar de encantamento bobo que vemos em outras histórias que abordam os vampiros. Da série, Amante Desperto é um dos meu livros preferidos de um dos meus personagens preferidos e como “início” de uma série tão longa Amante Desperto cumpre seu papel de encantar e amarrar o leitor.

Como uma odiadora mortal do lado Ômega do livro, eu consegui sobreviver bem a parte que lhes cabia na história de Z e Bella. Não foi o parto sem acompanhamento médico que sempre é ler sobre os redutores, o Sr. O dá uma humanizada na espécie, sem os redimir de sua culpa e missão.

É também no livro de Z que a gente conhece mais alguns aspectos da fisiologia vampírica totalmente nova que a Ward montou, vemos o cio da Bella e a transformação, ou seria restauração, do corpo do Zsadist. Enfim, um livro muito bom para amantes da ficção e do romance.

Já leu Amante Desperto? Conta pra mim o que achou e não esquece de dar aquele like aqui no final do post. Até a próxima seguimores.

Publicitária carioca, 27 anos, apaixonada por histórias de suspense e romances policiais. Autora "aposentada" de fanfics, esteve a frente do extinto site de fanfics interativas Dream Store Fanfictions, desde a sua criação em 2007. Nutrindo desde aquela época, uma vontade de ajudar autores iniciantes a escrever melhor e alcançar seus objetivos. No The Review Books é responsável pela série "Escrevendo um Bestseller" e pela identidade visual do site e redes sociais.