THE BUTTERFLY PROJECT | EMMA SCOTT | THEREVIEWBOOKS.COM.BR

O The Butterfly Project é um romance contemporâneo YA com uma ótima pitada de slow burn da autora Emma Scott, lançado em 2007 e que ainda não tem edição no Brasil.

O Livro trás uma história emocional baseada em personagens que beiram ao real, mas que não abusam dos dramas, tristezas e aflições deles para te prender num romance vazio. The Butterfly Project persegue o presente de Zelda e Beckett, duas pessoas diferentes que se conectam através das dores e da dificuldade de deixar seus passados onde pertecem.

Suas dores são tão reais e compreensíveis que fica praticamente impossível não ser arrebatado pela história.

As cicatrizes de Zelda começam quando ela tinha 14 anos, em uma fração de segundos toda a vida da sua família é abalada quando sua irmãzinha é sequestrada e ela se sente além de culpada. Para dar vazão a sua dor ela escreve um graphic novel distópica onde vigilantes viajam no tempo para tentar impedir crimes hediondos antes que eles aconteçam. Tentando lançar sua história para o mundo, ela vai a Nova York tentar uma publicação e os vários nãos que encontram, quase a fazem desistir. Até Beckett…

Descubra: A Rainha do Slow Burn – Mariana Zapatta

THE BUTTERFLY PROJECT | EMMA SCOTT | THEREVIEWBOOKS.COM.BR

Beckett passou o fim da sua adolescência na prisão, depois de tomar uma péssima decisão e participar de um assalto que não terminou bem. Surpreendidos pelo dono da casa, ele tenta compensar o fato de se sentir responsável pelo ataque cardíaco que levou a vida da sua vítima. Hoje, ele se mantem no lado certo da linha e faz de tudo para não se sentir muito feliz, já que não se sente merecedor, depois do que fez.

Percebi que você poderia se acostumar com qualquer coisa – mesmo sozinha por anos – até o momento em que tocasse algo melhor do que o que você tinha.

Os dois acabam se conhecendo por acaso depois que a Zelda vai jantar num lugar italiano e tem uma crise de ansiedade no meio da refeição. A ligação das duas almas sofredoras é imediata, mas como um bom slow burn, eles não se conectam imediatamente. Aliás, a união dos dois por mais “maluca” que seja, não é nenhum pouco forçada.

A Emma tem um talento especial para escrever e deixar as histórias críveis de um jeito, que mesmo que você nunca, nem remotamente, tomasse as decisões que os personagens tomam, você acredita e confia nesses movimentos, eles são realmente plausíveis e suas motivações estão sempre ali bem claras para o leitor.

Descubra: As Lindas histórias de Beth Ehemann

O livro é narrado em primeira pessoa, intercalando entre Beckett e Zelda e por conta disso, você não perde nenhum instante da história e nenhum ponto de vista. O tempo é contado de forma linear, com um dia após o outro, identificado no inicio de cada capítulo, com alguns flashbacks ocasionais para que possamos acompanhar os sentimentos e acontecimentos que levaram os personagens até onde eles estão no presente.

– Você já se perguntou, Zelda, se é permitido que você seja feliz?
– Sim, o tempo todo. Cada minuto.
– Eu odeio ouvir você dizer isso. Eu odeio que eu não possa tirar essa dor de você.
– Eu também,… por você. Você carrega demais.
– Talvez nós dois o façamos. Mas eu não sei o que fazer ou o que é pedir demais.

Os personagens secundários de The Butterfly Project são tão carismáticos como os principais. Eu fiquei realmente apaixonada pelo agente de condicional do Beckett e sua esposa, e fiquei muito feliz quando as coisas dão super certo no final do livro. A melhor amiga de Beckett, Darlene, também é um dos personagens do background da história que eu amei, ela é uma viciada em recuperação que também cumpriu pena e é impossível não torcer para que ela saia dessa.

THE BUTTERFLY PROJECT | EMMA SCOTT | THEREVIEWBOOKS.COM.BR

Aliás, a Emma Scott conseguiu tratar de assuntos super delicados em The Butterfly Project com uma sensibilidade sem igual. A história não reforça esteriótipos e nem passa pano para as situações, apenas mostra que em toda história há sempre dois lados e que todas as pessoas tem seu lado bom. Ela não redime ninguém que não mereça na sua história e isso é ótimo.

Senti um pouco de falta de andar mais pelo Brooklyn com os personagens, afinal não é sempre que pegamos uma história que não se passa nos cartões postais de Nova York, ou que mostra gente como a gente, que pega transporte público e acorda para trabalhar bem cedo pela manha.

Descubra: O escândalo #CopyPastCris e como Cristiane Serruya foi acusada de plagiar Tessa Dare, Lisa Kleypas, Bella Andre e outras 20 autoras.

Mas isso não é uma crítica a história em si, é só por que eu me conectei tanto aos personagens que eu queria ir a todos os lugares com eles. Definitivamente eu não vou parar por aqui na bibliografia da Emma, esse foi o primeiro título que eu li e espero ler outros em breve.

Já leu The Butterfly Project ou qualquer outro livro da Emma Scott? Conta pra mim nos comentários o que achou. O livro está disponível no Kindle Unlimited e você pode comprar clicando aqui. Até mais seguimores.

14 thoughts on “The Butterfly Project » Emma Scott”

  1. Na verdade eu ainda não conhecia o trabalho da autora, e me surpreendi com sua resenha, pela facilidade de descrever personagens tão reais. Além de ser notório que a mesma consegui transportar ao leitor a dor que os personagens estão sentindo pela situação que estão passando. Fiquei curiosa para saber qual será o desfecho da trama, se ela irá conseguir publicar o livro e mais ainda se sua irmã voltará para casa. Uma pena que o livro ainda não tenha sido publicado no Brasil.

  2. Oiii Tiffannyk

    Eu adoro histórias narradas em NY, é uma cidade tão vibrante, dava pra autora aproveitar bem a ambientação mas ainda assim fico feliz em saber o quanto vc conectou com ambos os protagonistas.
    Livros narrados por dois personagens intercalados são mais interessantes mesmo, justamente porque a gente não perde nenhum ponto de vista e nenhum detalhe e isso é bem legal. Gostei da dica.

    Beijos

    http://www.derepentenoultimolivro.com

  3. Olá,
    Como não tem nada da autora publicado no brasil eu realmente nunca li nada dela. Gosto deste tipo de escrita em que ficamos com vontade de acompanhar o personagem. Não curto muito livros que alternam de narrador, mas o resto da história parece muito bom.

    Debyh
    Eu Insisto

  4. Olá

    O livro me lembra aquelas histórias reais que são contadas através de peças de teatro mostradas no Canal Futura e isso já me encantou, porque realmente toda história tem seus dois lados e sempre trazem alguma lição que normalmente é escolher o “lado certo” da equação e balanceá-la de forma correta.

    Beijos

  5. olá!

    Ainda não conhecia o livro, mas a premissa dele é bem bacana. Gosto muito de YA, é um dos meus gêneros favoritos, pretendo ler mais esse ano. Vou anotar a dica do livro, ele realmente chamou minha atenção;.

    bjs

  6. Oi, tudo bem? Nunca li nada da autora, nem conhecia o livro… A história não me chamou muita atenção, mas leia para descobrir sobre a relação das protagonistas. Não conhecia slow burn e gostei muito de saber mais sobre, pelo que entendi é um tipo de recurso narrativo? Gosto de trocas de personagens na narração, desde que seja em primeira pessoa, pois consigo entrar mais na história.

    Love, Nina.
    http://www.ninaeuma.blogspot.com

  7. Não conheço o livro e deve ser pelo fato de não ter edição nacional, mas gosto de saber que ele não abusa no drama, assim como gosto dessa dinâmica na narrativa, sem dizer que quero conhecer as motivações desses personagens e a carisma de cada um deles. Então é uma recomendação que quero conferir, apesar de ter que esperar a edição nacional, já que sou péssima no inglês rsrs.

  8. Olá, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro ainda e achei a premissa muito interessante, pela sua resenha me pareceu ser uma obra que me envolveria. É uma pena não ter sido lançado aqui e que não tenha previsão, não sei inglês, então só me resta esperar alguma editora trazer a obra para cá.

  9. Oi, tudo bem?

    Como assim ainda não conhecia o livro nem a autora? O livro me chamou bastante a atenção, gosto de histórias bem reais, e que mexe com as nossas emoções, a gente sempre acaba se apegando muito aos personagens e as suas vidas, acho incrível quando autora consegue nos proporcionar isso.
    Gosto quando a narração é intercalada, sempre é bom ver mais de uma perspectiva.

    Beijos,
    Eli – Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

  10. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro, nem a autora, mas acho que justamente por não ter sido lançado ainda no BR, desconhecia sobre. Pela sua resenha posso esperar uma grande obra, o qual gosto quando nos apegamos ao personagem. Dica mais que anotada, assim que sair tradução pois infelizmente ainda não sei ler inglês hehe
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

  11. Olá!
    Não conhecia essa autora, uma pena que livros assim ainda não tenha aqui no Brasil, são história bem diferentes e me parece ser bem desenvolvida. Tomara que alguma editora se interesse.

    beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *